Alta ingestão de vitamina A diminui o risco do Câncer de Pele



Hoje é o dia Mundial do Câncer e minha missão é conversar com você sobre prevenção. É maravilhoso contar com itens que nos auxiliem na prevenção de doenças, ainda mais do tão famigerado câncer. E se esses itens viessem da nossa própria alimentação? Não seria ótimo? Então seguem os principais resultados de um estudo científico sobre isso.

A vitamina A é um micronutriente encontrado em alimentos de origem animal e vegetal. Além de ser muito boa para melhorar a visão (ou você nunca ouviu falar que cenoura, que é rica neste nutriente, faz bem para os olhos?), também auxilia na renovação das células e tecidos do nosso corpo. Como nós não produzimos essa vitamina, toda a fonte que necessitamos vem dos alimentos. E não é só da cenoura não! Alimentos como leite, ovos, vegetais folhosos, vegetais amarelos, frutas, etc. Nós até somos capazes de armazenar vitamina A no fígado, garantindo reserva por um certo período caso haja necessidade, mas é bom não abusar e causar uma avitaminose. Recentemente, após analisar dados de dois estudos observacionais de longo prazo, pesquisadores da Brown University, nos Estados Unidos, divulgaram no Journal of American Medical Association Dermatology que altas doses de vitamina A tem potencial para diminuir os riscos de câncer de pele. O câncer de pele é o tipo de câncer mais comum entre pessoas com pele clara, mas este estudo sugere que comer uma dieta saudável rica em vitamina A pode ser uma maneira de reduzir seus fatores de risco, associados com o uso de protetor solar e redução da exposição ao sol. Os dois estudos contavam com mais de 100.000 pessoas de raça caucasiana, sem histórico prévio de câncer. As pessoas do estudo que estavam na categoria de alta ingestão de vitamina A relataram comer em média a uma batata-doce cozida média ou duas cenouras grandes por dia. Já as pessoas que estavam no grupo de baixa ingestão de vitamina A comiam diariamente o equivalente a um terço da batata-doce ou uma cenoura pequena, que ainda está acima da dose diária recomendada de vitamina A. Entretanto, os pesquisadores também relataram que o excesso de vitamina A oriundo de fontes animais e suplementos, pode levar a náusea e toxicidade hepática. Os efeitos colaterais dos altos níveis de vitamina A à base de plantas não são tão significativos. Isso deve-se ao fato da vitamina A das fontes de origem animal é encontrada em forma de retinol e nas fontes vegetais é encontrada em forma de provitamina A. Outros pigmentos à base de plantas semelhantes à vitamina A - como o licopeno, encontrado em tomates e melancia – em grande quantidade, também estavam associados à diminuição do risco de câncer de pele, segundo os pesquisadores.

A pesquisa não pode estabelecer causa e efeito, pois as análises não foram baseadas em um ensaio clínico randomizado (estudos experimentais em que os participantes são aleatoriamente distribuídos em 2 ou mais grupos). Com isso, é possível que outros fatores possam ter levado aos resultados, como alimentação saudável e menor consumo de bebidas alcoólicas. De qualquer forma, alimentar-se bem é essencial para o corpo e para a mente! Fique ligado! Fonte: Jongwoo Kim, Min Kyung Park, Wen-Qing Li, Abrar A. Qureshi, Eunyoung Cho. Association of Vitamin A Intake With Cutaneous Squamous Cell Carcinoma Risk in the United States. JAMA Dermatology, 2019; DOI: 10.1001/jamadermatol.2019.1937

32 visualizações0 comentário