Bronzeamento saudável: é importante saber distinguir pele QUEIMADA de pele BRONZEADA



Se tem uma coisa que figura no topo da lista de desejos pro verão é o bom e velho bronzeamento, afinal, todo mundo quer ganhar aquela marquinha depois de uns dias na praia.


Seja pelo método tradicional ou pelo artificial (outro que ganhou fama nos últimos anos), há quem perca um pouquinho do controle e passe do limite, fazendo com que o bronzeamento vire, na verdade, uma queimadura nociva para a saúde.


É comum nos perguntarmos se “bronzear faz mal pra pele”, e a resposta é: DEFINITIVAMENTE NÃO, desde que haja um certo cuidado. Neste artigo, vou explicar um pouquinho como a gente faz pra tomar sol de uma maneira saudável, quais as principais diferenças pra uma pele queimada e em quais detalhes você precisa ficar de olho a partir de agora.


COMO POSSO ME BRONZEAR?


Antes de entrar nas dicas, precisamos entender como o bronzeamento acontece.


Todos os seres humanos possuem melanina no organismo, uma proteína responsável pela pigmentação da pele e dos cabelos, por exemplo. Na prática, a radiação UV emitida pelo sol estimula a produção de mais melanina, que por sua vez deixa a pele escura.


Um detalhe que merece atenção é o fato de que cada pessoa responde de uma forma a essa exposição solar. Quem tem pele clara, por exemplo, tem pouca melanina e tende a se queimar com facilidade, sem necessariamente ganhar o sonhado bronze na mesma proporção.


A melhor forma de garantir o seu bronzeamento com segurança, realmente, é dando tempo ao tempo e respeitando aquele velho conselho de dermatologista: evitar a exposição ao sol entre as 10h e as 16h. Durante esse intervalo, a incidência de radiação UVB é maior, e esses raios têm o poder de atingir a camada superficial da pele, causando queimaduras, vermelhidão e, inclusive, aumentando os riscos de desenvolver o câncer de pele.


Outra dica importante é não passar muitas horas exposto ao sol sem proteção, pois aí sim estaremos agredindo o nosso corpo de uma maneira inadequada. Pode até parecer contraditório, mas não é necessário e nem recomendado abandonar o filtro solar para se bronzear. O produto tem a função de garantir a sua saúde e, com tempo, tomando os cuidados, ele não te impedirá de “pegar uma cor”.


QUAL A DIFERENÇA DA PELE BRONZEADA E DA PELE QUEIMADA?


Apesar de muita gente confundir, os sinais são bem claros. A pele bronzeada de maneira saudável adquire a cor com o tempo, não arde, não coça e nem fica altamente sensível, enquanto a pele queimada - desde o início - fica bem vermelha, arde, coça e pode até gerar uma indisposição geral no corpo, com dores de cabeça, febre, calafrios e fadiga.


Fique atento(a) aos sinais e, se notar esses últimos sintomas, procure uma dermato.


CUIDADOS EXTRAS


No dia a dia e durante todo esse processo em busca da marquinha de verão, é fundamental aplicar o protetor solar e associá-lo a outros bons hábitos: tome bastante água, capriche na alimentação, investindo em alimentos naturais e ricos em betacaroteno, durma bem e mantenha a pele limpa. Lembre-se também de utilizar sabonetes neutros e hidratantes com poder calmante.


Caso queira saber mais sobre esse e outros assuntos da dermatologia, podemos agendar um horário no meu consultório. Estou à disposição! Você pode entrar em contato pelo telefone (34) 3217-8394 ou WhatsApp (34) 99317-8394.


Dra. Monique Naves

CRM MG 57040 RQE 45099⠀


6 visualizações0 comentário