Cicatrizes: como conviver com elas?





Esse da foto é Seal, ele ficou famoso com a canção Kiss from a Rose, trilha sonora do filme Batman Forever, pela qual recebeu três prêmios Grammy em 1995. Além da voz inconfundível, Seal também é lembrado por tipos muito característicos de cicatrizes no rosto e no couro cabeludo, causadas por uma doença de pele chamada lúpus eritematoso discóide.

Nunca ouviu falar dela? Essa é uma doença desfigurante na qual as células imunológicas atacam a pele por baixo, criando áreas inflamatórias e cicatrizes no couro cabeludo, orelhas, face e, às vezes, tórax e braços. As cicatrizes que se formam com a doença são permanentes, portanto, o tratamento preventivo e precoce é a melhor forma de administrar a condição.

Assim como ele, muitas pessoas carregam cicatrizes que dizem muito sobre suas próprias lutas e vitórias na vida, e a aceitação é importante. Afinal, todos nós temos as nossas próprias cicatrizes, estejam elas aparentes ou não.

Por exemplo, Catherine Zeta-Jones, que tem uma cicatriz no pescoço, resultado da traqueostomia pela qual teve que passar ainda bebê, quando um vírus contraído causou dificuldades respiratórias. Em algumas entrevistas ela já deixou claro que não pretende esconder a cicatriz, uma vez que, “não estaria aqui hoje se não tivesse essa cicatriz”. De fato, em toda cirurgia existe o risco de cicatrizes na incisão. Normalmente, as cicatrizes desaparecem com o tempo, mas nunca desaparecem completamente.









Nos casos em que as cicatrizes carregam consigo memórias negativas, que a autoestima fica comprometida, ou ainda quando prejudicam a qualidade de vida (limitando os movimentos, por exemplo), os pacientes podem recorrer a alguns procedimentos que incluem dermoabrasão, injeções de corticoide, peelings químicos, cremes e tratamentos a laser. Os pesquisadores continuam procurando opções mais eficazes.

TIPOS DE CICATRIZES Queloide: são marcas que passam por um excesso cicatrização na pele, produzindo uma grande quantidade de colágeno na região, formando uma lesão alta e escura no local lesionado. Contratura: são cicatrizes que normalmente acontecem após uma queimadura. Essas marcas tendem a apertar a pele, prejudicando, muitas vezes, a capacidade de movimento cutânea. Hipertróficas: Estas são levantadas, vermelhas e semelhantes à queloide.

Para descobrir qual o tratamento mais recomendado para o seu caso, busque um dermatologista.

12 visualizações0 comentário