Como tratar o excesso de pelos nas MULHERES



Os pelos são extremamente naturais em qualquer ser humano, todo mundo tem! Eles se desenvolvem em maior quantidade no nosso corpo após a puberdade, especialmente em função das alterações hormonais características dessa fase.


Nas mulheres, quando os níveis hormonais permanecem equilibrados, a realidade é aquela que todos nós conhecemos, os pelos crescem até que sejam administrados de acordo com a preferência de cada uma: lâmina, cera ou depilação a laser.

Por outro lado, se há uma descompensação prolongada desses níveis, especialmente da testosterona (hormônio masculino), os pelos nascem e crescem excessivamente em regiões incomuns e esteticamente desagradáveis, como no rosto, na parte interna da coxa, na barriga, entre as mamas e nos glúteos. Essa condição é chamada de hirsutismo e precisa ser acompanhada por uma dermatologista, pois existe tratamento.

QUAIS OS TRATAMENTOS PARA ESSE EXCESSO DE PELOS?

Os dois mais comuns e que logo vêm à cabeça de muita gente é a depilação com cremes, lâminas ou cera. Sobre eles, vale a pena levantar alguns pontos.

Além de serem alternativas pontuais e com resultados de cura duração, não são tão práticas e podem até mesmo gerar certos problemas na pele, como foliculite, machucados, manchas, alergia e ressecamento.


Nesse sentido, a melhor opção é a depilação à laser. Essa técnica permite combater os pelos diretamente na origem, emitindo luzes que aquecem as células da raiz e fazem com os eles parem de crescer.

Recebo muitas pacientes no meu consultório que se queixam do excesso de pelos no corpo, e muitas delas compartilham comigo justamente essa dificuldade com as outras técnicas que mencionei logo acima. Geralmente recomendo a depilação a laser e tenho atingido bons resultados com o Light Sheer Duet®. Essa tecnologia emite um feixe de luz altamente concentrado e aquece vários folículos de uma vez, acelerando o tratamento e os efeitos.


Outro ponto bem interessante sobre o Light Sheer Duet® é que ele é indicado para qualquer região do corpo e qualquer tom de pele. O número de sessões depende muito de cada caso, mas sempre faço uma avaliação para planejar as etapas e tirar todas as dúvidas.


É bom destacar que a depilação é um tratamento direcionado ao sintoma do problema, e não necessariamente à causa. É por esse motivo que eu reforço o quanto é importante procurar uma dermatologista e checar outras intervenções que se fazem necessárias para controlar o desequilíbrio hormonal. Tem situações, por exemplo, que vale a pena recorrer a um trabalho multidisciplinar, contando com o apoio de uma endócrino e uma gineco.


Caso tenha alguma dúvida, estou à disposição para conversamos no meu consultório. Você pode agendar um horário pelo telefone (34) 3217-8394 ou WhatsApp (34) 99317-8394.


Fontes:

Sociedade Brasileira de Dermatologia. Disponível em:

https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/hirsutismo/12/

https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/procedimentos/depilacao-a-laser/4/

18 visualizações0 comentário