Estresse e beleza não combinam



Nesse setembro amarelo, que é um mês de alerta para a saúde mental, nós dermatologistas também participamos do movimento ;)

Quais são os primeiros sintomas que você sente quando fica estressada(o)? Tremedeira? Mãos suando? Dor de cabeça? Pois é, alguns sinais do estresse são mais óbvios e embora todos saibam que o estresse pode afetar a pessoa física e psicologicamente, muitos não percebem que esse estado pode levar a problemas dermatológicos, como acne, unhas quebradiças ou até perda de cabelo.

Confira como o estresse pode afetar sua pele, unhas e cabelo a seguir:

PELE

Bom, primeiramente é interessante entender como o corpo reage ao estresse: Durante os picos de estresse, o nosso corpo libera uma dose extra de cortisol e isso causa um aumento na produção de óleo, o que pode levar à pele oleosa, acne e outros problemas de pele relacionados.

Além disso, o estresse psicológico interfere na homeostase da barreira da permeabilidade epidérmica, ou seja, tem um efeito negativo na função de barreira da pele, resultando em perda de água que inibe a capacidade da pele de se reparar após uma lesão.

Vale ressaltar que ele pode agravar quadros de eczema, rosácea, acne e psoríase, ironicamente, criando ainda mais estresse!

Por isso e por outras razões, o estresse deve ser bem controlado para manter a saúde do corpo como um todo.

CABELO

Você provavelmente conhece essa história de que estresse faz cair o cabelo e já deve ter se perguntado se não é só uma “fake news”. Pois acredite, É VERDADE!

Quando alguém está sob estresse, o cabelo pode entrar na fase telógena (queda). Esse é um problema muito comum de perda de cabelo que pode ocorrer até três meses após um evento estressante e é conhecido como eflúvio telógeno. Apesar de ser fundamental buscar ajuda de um dermatologista nesses momentos para tentar controlar o problema, a notícia boa é que o cabelo volta a crescer entre seis e nove meses após a fase inicial de queda.

Além disso, eventos que mudam a vida e que geram certo estresse (ainda que positivo), como parto ou cirurgia, também podem causar queda de cabelo. Isso porque durante esses períodos, o corpo tira um "intervalo" para se concentrar na recuperação e na cura e deixa de lado funções secundárias como o crescimento do cabelo. Isso resulta em um menor crescimento ou até mesmo queda.

UNHAS


Você rói unha quando está estressada(o)? Pois é, esse é um hábito comum, além de roer as unhas ou cutucá-las, algumas pessoas acabam roendo os “cantinhos” quando se sentem estressadas.

Além disso, pessoas que têm a “mania” de esfregar os dedos sobre a unha do polegar podem notar uma crista na unha. Isso acontece porque o atrito causa uma distorção da placa ungueal e, quando a unha cresce, uma crista elevada se forma no meio da unha.

Mas os efeitos não são resultantes apenas da ação mecânica de “cutucar” ou “roer”, o estresse deixa as unhas quebradiças e com o efeito de “descascado”.

ENTÃO, COMO LIDAR?

Saber tudo isso é fundamental, mas a pergunta que fica no final é: como eu lido com os efeitos do estresse, então? Veja algumas dicas:

  • Aprenda a reconhecer o problema subjacente, ou seja, O GATILHO, que está causando seus sintomas e desenvolva habilidades para ajudar a minimizar o estresse.

  • Exercício físico ajuda a liberar endorfina no corpo, esse hormônio é ideal para quem quer reduzir o estresse.

  • Evite banhos ou banhos muito quentes e use sabões sem detergente. Não se esqueça de HIDRATAR toda a peles logo após o banho.

  • Use um filtro solar de amplo espectro com um FPS de 15 ou mais por dia para proteger sua pele da exposição ao sol.

Fonte: American Academy of Dermatology. "Feeling Stressed? How Your Skin, Hair And Nails Can Show It." ScienceDaily. ScienceDaily, 12 November 2007. .

15 visualizações0 comentário