Masculinidade e a BELEZA



Quando se trata de cuidados com a aparência, as mulheres são geralmente mais dedicadas que os homens.


Mesmo com o passar dos anos tendo contribuído para uma significativa diminuição na fronteira entre os gêneros, alguns ideais tradicionais ainda persistem no subconsciente de muitos indivíduos.

Por isso, grande parte dos homens ainda entende a falta de cuidados com a estética como um sinal de masculinidade e virilidade.

No artigo de hoje vamos explicar porque isso não é verdade e te provar que é sim possível ser bonito e masculino ao mesmo tempo. Confira!


Por que os homens não costumam se preocupar tanto com a aparência


A sociedade em que vivemos é regida por convenções que orientam e delimitam o nosso convívio.


Algumas dessas convenções são arcaicas e foram estabelecidas com base em preceitos antigos, que não servem mais de base para as relações construídas atualmente.


Esse é justamente o caso da ideia de que a atratividade física é um elemento central e exclusivo da feminilidade.

Há muito a vaidade e a preocupação com a aparência são considerados atributos tipicamente femininos, sendo a negligência e a falta de preocupação com a aparência traços associados à masculinidade.

Isso se dá pela necessidade de diferenciação que o homem possuía. Seguindo essa linha de pensamento o rosto masculino, assim como acontece com o corpo, deve se opor ao feminino ou à criança. O homem tem que ter “cara de homem e não de molequinho” e deve


transmitir masculinidade. Sua beleza se dá por meio de um corpo robusto de musculatura bem definida, consequências do trabalho e do esforço físico, que até então eram especialmente voltados para o homem.


Sendo assim, os cuidados com a pele, unhas, cabelo e com a estética de forma geral foram atribuídos às mulheres.


Alguns homens até se mostravam interessados em trabalhar seus atributos, mas não destinavam a devida atenção a sua própria aparência por medo de serem estigmatizados como infantis ou homossexuais.


Cuidar da beleza não te faz menos masculino


O tempo passou e as convenções mudaram. Hoje o número de homens que se preocupa com a beleza cresce cada vez mais.


Os cuidados com a estética não são mais limitados ao ganho de massa e musculatura. Agora há uma boa porcentagem de homens frequentando salões de beleza e centros de estética para cuidar de sua aparência e melhorar sua imagem. Muitos fazem isso até com o intuito de impressionar mais mulheres, enquanto outros o fazem apenas pelo auto-cuidado.

Fato é que essa ainda é uma linha que muitos têm objeção em atravessar, não pelo modo como se vêem, mas sim por receio de serem segregados ou mal vistos pelos outros que ainda condenam o “cuidado em excesso”.

É como se existisse uma fronteira que determina quais práticas são aceitáveis e legítimas para os homens e quais não são. É um papel individual de cada homem desafiar esses limites impostos pela sociedade e evidenciar que o cuidado com a aparência não depende de identidade de gênero ou orientação sexual


O que torna um homem belo é muito relativo, dado que a percepção da beleza é algo muito particular. Os homens não devem se privar de cuidados que podem melhorar sua aparência e auto-estima por conta dos limites impostos pela sociedade.

É justamente adotando essas práticas de cuidado que os homens contribuem para a ruptura dessa convenção e a transformação da sociedade.

Homem, não tenha medo de cuidar de si. Faça sua parte!


Fonte:

FONTES, Olivia de Almeida; BORELLI, Fernanda Chagas; CASOTTI, Leticia Moreira. Como ser homem e ser belo? Um estudo exploratório sobre a relação entre masculinidade e o consumo de beleza. REAd. Rev. eletrôn. adm. (Porto Alegre), Porto Alegre , v. 18, n. 2, p. 400-432, Aug. 2012

13 visualizações0 comentário