O vitiligo está além de uma questão estética


O vitiligo é conhecido por causar manchas claras na pele e, nos últimos tempos, tem ganhado as manchetes pelo número cada vez maior de figuras influentes falando sobre o impacto da doença na autoestima.


No dia a dia, tão importante quanto a quebra de preconceitos e padrões estéticos, é entendermos - de uma vez por todas - que estamos falando de uma CONDIÇÃO MÉDICA que torna a pele sensível e, por isso, exige cuidados com a saúde.


Preparei um resumo do que é essa doença, como ela se manifesta e de que forma os pacientes devem se cuidar a partir do diagnóstico.


O QUE É VITILIGO?


O vitiligo é uma condição médica que ocorre quando o sistema imunológico ataca os melanócitos do próprio corpo. Como você pode imaginar, essas células são as responsáveis por dar cor à nossa pele, lábios, olhos e cabelos.


De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o vitiligo pode ser classificado em dois tipos:


  • Segmentar ou Unilateral: quando surge em apenas uma parte do corpo. Ele normalmente é diagnosticado durante a juventude


  • Não segmentar ou Bilateral: é o tipo mais comum e pode afetar os dois lados do corpo. As manchas brancas e claras tendem a surgir inicialmente nas extremidades (mãos, pés, nariz e boca) e podem se espalhar por outras regiões. Via de regra, existem ciclos de crescimento das manchas e épocas específicas em que ela parece avançar. Esse comportamento varia entre cada paciente e precisa ser avaliado corretamente pelo dermatologista.


Vale a pena reforçar que, ao contrário do que diz o imaginário popular, o vitiligo não é infeccioso e, por isso, não é contagioso.


O diagnóstico deve ser feito somente por um médico. Após o exame clínico, o dermatologista tem melhores condições de direcionar um tratamento mais adequado para cada situação.


QUAIS AS CAUSAS?


A origem exata do vitiligo ainda não é conhecida pela ciência. Entretanto, alguns estudos mostram que o histórico familiar da doença está presente em até 30% dos casos diagnosticados.


Segundo a Academia Americana de Dermatologia (AAD), todas as pessoas, independentemente do sexo e cor da pele, podem ter a doença.


QUAIS OS CUIDADOS NECESSÁRIOS PARA A PELE?


Uma vez diagnosticado, o vitiligo exige a atenção de todos os pacientes para não só controlar o avanço das manchas, como também garantir a saúde de uma pele naturalmente sensível.


Entre os tratamentos disponíveis estão o uso de cosméticos para camuflar as manchas, medicamentos tópicos para estimular a pigmentação das áreas afetadas, aplicação de certos tipos de laser e - o mais importante de todos - a mudança de hábitos.


Diariamente, os pacientes precisam se atentar a esse pequeno manual de autocuidado:


  • Intensificar o uso de protetor solar, optando por um produto resistente à água e com FPS 30 ou mais.


  • Reaplicar o filtro a cada 2 horas, após suar bastante ou após entrar na água.


  • Usar roupas resistentes ao sol para proteger os braços e pernas.


  • Associar essas peças aos óculos escuros, bonés e chapéus. O objetivo, como você pôde perceber, é fugir da radiação UV.


  • Evitar qualquer tipo de bronzeamento, seja natural ou artificial.


  • Não fazer tatuagens.


  • Evitar cortes ou machucados, pois o período de cicatrização também é capaz de gerar manchas.


  • Faça um acompanhamento com a dermatologista!


Caso tenha alguma dúvida sobre esse ou qualquer outro assunto, eu estou aqui para te ajudar. Podemos agendar um horário no meu consultório pelo telefone (34) 3217-8394 ou WhatsApp (34) 99317-8394.


Dra. Monique Naves

CRM MG 57040 RQE 45099⠀


_____________


15 visualizações0 comentário