Proteja-se do sol! Ele pode queimar e envelhecer a sua pele



Você já deve ter ouvido alguém falar que “tudo em exagero faz mal”. Parece conselho de mãe, né? Mas pelo menos em relação ao sol, isso faz sentido e é a mais pura verdade.


O sol tem um papel fundamental na nossa vida, já que, entre outros fatores, é o responsável pela produção de vitamina D, aumenta os níveis de endorfina e serotonina no cérebro - melhorando o humor - fortalece o sistema imunológico e melhora a qualidade do sono.


Para que todos esses benefícios sejam bem aproveitados, a nossa exposição deve ser moderada e protegida, sob riscos de gerar queimaduras e envelhecimento precoce da pele. Basta lembrar, por exemplo, daqueles dias de praia que deixaram recordações desagradáveis por um bom tempo.


O QUE SÃO QUEIMADURAS SOLARES?


Trata-se de um edema causado pela exposição exagerada a uma forte radiação solar (UV), responsável por alterar as características de determinadas células da nossa pele.


QUAL A DIFERENÇA ENTRE RADIAÇÃO UVA E UVB?


Ambas são luzes ultravioletas (invisíveis) que se diferenciam pelo comprimento de onda. A radiação UVA tem entre 320 e 400nm (nanômetros), é menos potente que a UVB, mas é a que mais atinge a superfície do nosso planeta. Ela tem a capacidade de penetrar na gordura e camada média da pele, a derme, danificando as células, provocando lesões e favorecendo um envelhecimento precoce.


Já a radiação UVB, por outro lado, tem de 290 a 320nm e é bem mais agressiva à camada superior da pele, a epiderme. Quando absorvida, estimula reações químicas nas células que causam vermelhidão e inchaço, dois sinais claros de queimadura.


A cor da nossa pele influencia bastante na resistência e absorção da radiação UV. Pessoas loiras, ruivas e de pele mais clara se queimam com maior facilidade e dificilmente se beneficiam do bronzeamento. Por outro lado, peles morenas e negras são menos suscetíveis à queimadura.


Outros fatores que afetam a incidência das queimaduras são regiões tropicais, como o Brasil - onde os raios solares chegam com maior intensidade - áreas de grande altitude, exposição entre 10h e 16h, céu claro e reflexos, como o da água.


O QUE AS QUEIMADURAS CAUSAM?


Os sinais variam de acordo com as características da pele e o tempo de exposição. Em geral, incluem: vermelhidão, inchaço, irritação, calor e dor. Nos casos mais graves, podem surgir bolhas, febre, calafrios e desidratação.

Entre 4 e 7 dias após o início dos sinais, as lesões tendem a descamar. Nessa fase, além do incômodo estético, há quem se queixe de coceira.


É preciso ficar atento aos riscos oferecidos pelas queimaduras. A longo prazo, elas causam rugas, perda de brilho, manchas de cor marrom, sardas e até câncer de pele.


COMO TRATAR AS QUEIMADURAS?


A melhor alternativa sempre é a prevenção, mas se você já se queimou, é importante priorizar banhos mais frios, cuidar da hidratação, usar loções de aloe vera e outros hidratantes neutros, evitar novas exposições ao sol e procurar um dermatologista. Jamais se automedique ou recorra a fórmulas caseiras.


COMO DEVO ME PROTEGER?


A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda o uso constante de protetor solar com FPS igual ou maior que 30, aplicado com pelo menos 30 minutos de antecedência à exposição. Além disso, o produto deve ser reaplicado a cada duas horas ou menos, principalmente se houver muita transpiração ou contato com água.


Além do filtro solar, é importante usar óculos escuros de qualidade, chapéus e priorizar roupas de algodão em relação aos tecidos sintéticos. Na praia, é melhor usar barracas feitas com material de algodão ou lona, pois absorvem melhor a radiação UV.


Caso tenha alguma dúvida quanto à prevenção ou tratamento, estou à disposição para conversamos no meu consultório. Você pode agendar um horário pelo telefone (34) 3217-8394 ou WhatsApp (34) 99317-8394.


28 visualizações0 comentário