Queratose pilar: saiba como se livrar de vez desse problema



Quem é papai ou mamãe já deve ter reparado algumas bolinhas brancas e avermelhadas, bem pequenas, espalhadas pelos braços, coxas e bochechas das crianças. Digo isso porque elas são as mais afetadas por esse probleminha chamado QUERATOSE PILAR.


Se este é o seu caso, saiba que, primeiramente, não existem motivos para se desesperar. A queratose é SIM desconfortável, tanto pela estética quanto pela sensação de coceira, mas não é uma urgência médica que coloca a saúde em risco.


Para deixar as coisas mais claras, separei os principais pontos acerca da doença de uma forma que facilite a sua compreensão. Na sequência, você vai saber mais sobre o que ela é, quais as causas e, principalmente, o que você pode fazer para tratá-la sem nenhuma dor de cabeça.


O QUE É QUERATOSE PILAR?


A queratose ou ceratose pilar (ou folicular) é definida pela Academia Americana de Dermatologia como uma doença de pele benigna resultante do excesso de queratina, a proteína responsável por, entre outras coisas, proteger a pele e impedir a perda excessiva de água. O nome dessa condição se dá ao fato de que a alta concentração da queratina acontece no local de origem dos pelos, os chamados folículos pilosos.


É importante ressaltar que todas as pessoas estão sujeitas a apresentar essa condição, independentemente do tipo de pele. Nos próximos tópicos eu falo mais sobre isso os fatores de risco.


QUAIS OS SINTOMAS?


Quem tem queratose pilar pode observar:


  • Pequenas saliências na pele, com bolinhas brancas e vermelhas.

  • Aspecto semelhante ao de arrepios ou pequenas espinhas.

  • Bolinhas mais frequentes na parte de trás dos braços, nas laterais da bochecha e na parte da frente da coxa.

  • Manchas escamosas que deixam a pele com aspecto seco e áspero.

  • Sintomas mais intensos no inverno e dias de baixa umidade.

  • Coceira.



QUAIS AS CAUSAS?


Conforme mencionei, a queratose pilar é provocada pelo excesso de queratina nos folículos pilosos, o que ocorre principalmente por questões genéticas. Qualquer pessoa pode desenvolver a doença, mas ela é mais comum em crianças e adolescentes.


Além disso, é importante destacar que alguns fatores de risco facilitam o surgimento desse quadro e podem intensificar os sintomas. Os principais são:


  • Histórico familiar.

  • Asma.

  • Pele seca.

  • Eczema.

  • Obesidade.

  • Quadro alérgico frequente.

  • Outras doenças de pele, como a Ictiose vulgar.

  • Tratamento medicamentoso de melanoma e outros tipos de câncer.

  • Alterações hormonais características da gravidez e puberdade.



COMO TRATAR?


A queratose pilar é realmente um problema inofensivo, ou seja, não está associada a complicações para a nossa saúde. Por esse motivo, ela não precisa ser tratada com urgência, a menos que a coceira e a estética estejam incomodando o paciente.


Se você já observou essas bolinhas na sua pele ou a pele dos seus filhos, o primeiro passo é procurar o apoio de uma dermatologista para avaliar o caso com atenção. Somente um profissional está capacitado para analisar a situação, dar um diagnóstico preciso e indicar - se for o caso - um tratamento preciso.


É importante ressaltar que a queratose não pode ser totalmente curada e extinta, pois a produção da queratina pode “flutuar” com o passar do tempo e fazer com que as bolinhas voltem esporadicamente. Por outro lado, existem algumas alternativas que vão controlar os principais incômodos e retomar o bem-estar de quem está com a doença.


Em casa, é fundamental que o paciente tenha alguns cuidados para diminuir a secura, a aspereza e as coceiras na pele. Aqui está uma listinha de dicas que vão ajudar:


  • Evite banhos quentes e muito demorados. Dê preferência para a água morna.

  • Pelo menos uma vez na semana, esfolie bem a pele, sempre com muita calma e sem exagerar na força dos movimentos.

  • Evite usar roupas muito apertadas e de tecidos sintéticos, pois elas podem friccionar a pele e agredir os nossos folículos.

  • Seque bem a pele após cada banho e nunca se esqueça de aplicar um hidratante de boa qualidade, pois é ele que vai segurar a água na pele e combater os sintomas da secura. Nessas horas, vale a pena consultar a sua dermato para chegar no produto que melhor atende o seu tipo de pele.

  • Além da hidratação, sua dermato pode indicar outros ativos capazes de ajudar a melhorar a condição, como a ureia, o ácido glicólico e alguns retinoides. Esses produtos são aplicados apenas sob indicação médica, ok?

  • Hoje em dia existem diversos procedimentos e tratamentos a laser que também podem trazer ótimos resultados, principalmente quando a hidratação em casa não corresponde às expectativas.


Vale a pena destacar que todos esses passos exigem disciplina e comprometimento, pois os resultados positivos não vão aparecer do dia pra noite. A Academia Americana de Dermatologia destaca que algumas pessoas podem observar os efeitos somente após a 4ª semana de tratamento.


Caso queira saber mais sobre os cuidados com a sua pele, podemos agendar um horário no meu consultório. Você pode entrar em contato pelo telefone (34) 3217-8394 ou WhatsApp (34) 99317-8394.


Dra. Monique Naves

CRM MG 57040 RQE 45099⠀


71 visualizações0 comentário