Seu cabelo cai mais no verão e outono? Veja o que diz a ciência.



Ninguém fica tranquilo ao perceber que está “perdendo” os cabelos! Porém, durante qualquer tipo de queda de cabelo, é importante observar o ciclo natural de crescimento do fio. Normalmente, perdemos cerca de 100 fios de cabelos por dia. Se você está perdendo mais do que isso, pode estar passando por queda excessiva de cabelo, conhecida formalmente como eflúvio telógeno. Há também o tipo de perda de cabelo conhecida como eflúvio anágeno, que ocorre quando o cabelo para de crescer completamente, por exemplo por causa do estresse. Se você começar a notar manchas ou áreas na cabeça com cabelos visivelmente mais finos do que o normal é mais provável que esteja passando por uma perda de cabelo "novos". Embora a queda de cabelo possa ser muito alarmante, especialmente no primeiro caso, a queda excessiva de cabelo geralmente é temporária e o ciclo normal de crescimento capilar tende a se reverter após alguns meses. Estudos recentes de especialistas das universidades John Hopkins e Washington, ambas nos Estados Unidos, indicam que a queda de cabelos ocorre mais nos meses do verão e do outono, enquanto as taxas mais baixas ocorrem no inverno. Os pesquisadores utilizaram dados do Google Trends (um banco de dados on-line de acesso aberto que agrega dados de pesquisa do Google a partir de 2004) e chegaram à conclusão de que níveis de temperatura e luz do dia são fatores causais dos padrões sazonais observados na queda de cabelo. Esses achados são consistentes com estudos anteriores que usaram tricogramas (um dos melhores exames para se avaliar possíveis causas da queda de cabelos em homens e mulheres) e outras amostras de cabelo para descobrir que a perda de cabelo por eflúvio telógeno ocorre ao máximo no verão ou na transição entre o verão e o outono. A fisiologia da perda de cabelo relacionada à variação sazonal é ainda desconhecida. Vários fatores interferem nas implicações clínicas, como a inexatidão no diagnóstico das condições de queda de cabelo ou a eficácia do tratamento iniciado em diferentes meses do ano. Embora a temperatura tenha sido associada à sazonalidade da perda de cabelo neste estudo, ela não contribuiu significativamente para a perda de cabelo em si. Com isso, temos a hipótese que outros fatores podem contribuir como por exemplo o efeito da variação do índice ultravioleta, cloro da piscina ou da água salgada nos padrões de perda de cabelo. Estudos adicionais são necessários para descrever melhor a relação entre queda de cabelo e sazonalidade. Independentemente da época do ano, fica a dica para buscar o auxílio de um especialista caso você note uma queda de cabelo fora do comum. Fonte: E.Y. Hsiang, Y.R. Semenov, C. Aguh, S.G. Kwatra. Seasonality of hair loss: a time series analysis of Google Trends data 2004 to 2016. British Journal of Dermatology, 2017; DOI: 10.1111/bjd.16075 - 👩🏻⚕️ Dra. Monique Naves | CRM MG 57040 RQE 45099 ⠀ Av. Vasconcelos Costa, 962 - 2o andar, Uberlândia-MG (34) 3217-8394 (34) 99317-8394

90 visualizações0 comentário