Saiba como identificar e tratar a erupção na pele causada pela herpes



Quando pensamos em lesões infecciosas na pele, é praticamente impossível não lembrarmos do herpes simples.


Esse quadro é conhecido por formar pequenas bolhas avermelhadas que, com o tempo, “estouram” e provocam uma ferida mais incômoda, muitas vezes acompanhada de coceira e ardência ao seu redor.


Se você ainda não conhece ou tem dúvidas sobre esse problema, os próximos tópicos podem te ajudar! Eles trazem um resumo bem completo com informações valiosas sobre o que é herpes simples, como você pode identificá-lo no dia a dia e qual a melhor forma de lidar com as lesões.


O QUE É HERPES?


De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o herpes simples é uma doença viral causada pelos herpesvírus tipo 1 e tipo 2, ambos com alta circulação e fácil transmissão entre as pessoas.


Enquanto o herpesvírus tipo 1 (HSV 1) causa feridas na região labial e se transmite pelo contato com a saliva, o herpesvírus tipo 2 (HSV 2) é mais conhecido por afetar a região genital e se disseminar pelas relações sexuais.


É importante destacar que, uma vez infectado, um paciente pode seguir assintomático por muitos anos.


Em geral, isso acontece porque a grande maioria da população adulta já adquiriu imunidade durante a infância e adolescência, o que mantém o vírus latente no organismo até que alguma baixa no sistema imune permita a sua manifestação.


Ao longo da vida, fatores como o estresse, febre, exposição exagerada ao sol e período perimenstrual são os principais responsáveis por desencadear um episódio de herpes.


Antes de entrar nos sintomas, vale a pena reforçar que o herpes simples não significa a mesma coisa que o herpes zoster (cobreiro). Além de serem causadas por vírus diferentes, essas duas condições têm sintomas, características, prevenção e tratamento distintos. Clique aqui para saber mais!


COMO EU SEI QUE A MINHA LESÃO É UMA HERPES?


O primeiro sinal de que uma erupção na pele causada por herpes está se desenvolvendo é a sensação de formigamento, ardência e coceira no local. Ainda que essas lesões sejam mais frequentes ao redor da boca e na região genital, existe a possibilidade de aparecerem em qualquer outra parte do corpo, como os dedos.


Em pouco tempo, a área avermelhada dá lugar a um conjunto de bolhas bem pequenininhas que se unem e formam uma pústula maior, semelhante a uma espinha. Entre 7 e 14 dias, a bolha tende a se abrir, vazar o líquido interno e formar uma crosta mais espessa antes de cicatrizar.


Essa fase de abertura e vazamento exige um cuidado maior por ser a que mais favorece a transmissão do herpesvírus. De acordo com a SBD, um simples contato dos dedos com a ferida pode transferir o vírus para outras pessoas e outras partes do corpo.


Hoje em dia, sabe-se que o primeiro surto de herpes costuma ser o mais intenso e duradouro, podendo até causar febre e inchaço na região afetada.


COMO TRATAR A HERPES?


Apesar de não ter uma cura definitiva para o herpes simples, existem tratamentos bem efetivos que controlam as feridas, aliviam os sintomas e evitam complicações para a saúde do paciente.


As principais recomendações na hora de tratar um surto da doença são: cremes e pomadas para a ferida, e medicamentos antivirais para acelerar a cicatrização. De toda forma, é preciso consultar um médico!


Independentemente de já ter uma ferida ou não, é importante que todos tomem as medidas de prevenção no dia a dia.


Nesse sentido, a SBD recomenda manter os cuidados com a higiene, usar preservativo nas relações sexuais, não beijar a boca de alguém com lesões, não compartilhar objetos ou peças íntimas e nem tocar em feridas que estejam em fase ativa.


Caso tenha alguma dúvida sobre esse ou qualquer outro assunto, eu estou aqui para te ajudar. Podemos agendar um horário no meu consultório pelo telefone (34) 3217-8394 ou WhatsApp (34) 99317-8394.


Dra. Monique Naves

CRM MG 57040 RQE 45099⠀


54 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo